Sob risco de colapso em área de mina, Maceió completa 208 anos sem festa de aniversário

  • 05/12/2023
(Foto: Reprodução)
Capital das mais belas praias do país e que respira o turismo, vive o drama da evacuação de moradores às pressas pelo risco de uma abertura de cratera gigante. Solo já cedeu 1,80 m e Município mantém em alerta máximo. Vista geral da região que engloba os bairros Pinheiro, Mutange, Bom Parto e Bebedouro, em Maceió, no estado de Alagoas, onde os moradores tiveram que deixar suas casas devido a instabilidade do solo causada pela extração da sal-gema, utilizado para produzir soda cáustica e policloreto de vinila (PVC), localizado a mais de mil metros de profundidade. PEI FON/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Sob risco colapso em área de mina da Braskem, Maceió completa 208 anos nesta terça-feira (5) sem festa de aniversário. A capital das mais belas praias do país e que respira o turismo, vive o drama da evacuação de moradores às pressas pelo risco de uma abertura de cratera gigante. Há menos de uma semana, o solo na região já cedeu 1,80 m e deixa o Município mantém o aviso de "alerta máximo". Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram A tragédia urbana em curso transforma áreas inteiras em bairros fantasmas, um problema que ainda está longe do fim, já que o solo continua afundando. Nas redes sociais, o prefeito JHC (PL) publicou um vídeo explicando o motivo de não haver comemorações de aniversário, como nos anos anteriores. (leia a nota da prefeitura ao final do texto). "A capital dos alagoanos está completando 208, mas não é hora de comemoração. Maceió está passando por um dos momentos mais difíceis [...]. Nossa prioridade é cuidar das pessoas, garantir a segurança de todos e cobrar Justiça da Braskem", disse o prefeito JHC. A mina que corre risco de colapso é uma das 35 que a Braskem mantinha na região para extração de sal-gema, minério utilizado na fabricação de soda cáustica e PVC. Por meio de nota, a empresa ressaltou que "as áreas de serviço em torno da mina continuam isoladas, e o monitoramento é feito 24 horas por dia". Clique aqui para se inscrever e receber no seu WhatsApp as notícias do g1 📲 Segundo a Defesa Civil, o alerta máximo continua vigente porque, para que haja uma estabilidade no solo . Após o alerta, famílias que ainda viviam no entorno do Mutange tiveram que sair das suas casas, algumas por iniciativa própria e outras sob ordem judicial. Imagens mostram o comparativo do avanço da Lagoa Mundaú na região onde há grande risco de colapso em Maceió Defesa Civil de Alagoas Maceió: a pequena vila que se tornou independente em 1815 Maceió pertencia politicamente a velha cidade das Alagoas, à vila de Santa Maria Madalena de Alagoas do Sul, que hoje é o município de Marechal Deodoro e tornou-se independente quando foi elevada a condição de vila, em 5 de dezembro de 1815. A elevação de Maceió à vila aconteceu pela prosperidade do local, pela localização favorável do Porto de Jaraguá. A estrutura não se compara a que vemos hoje. Mas havia uma um ancoradouro no local, uma pequena ponte, para transportar mercadorias e trazer mercadorias de Portugal. Devido a esse comércio intenso através do porto, explicou o historiador, Maceió cresceu e superou a velha capital que era a cidade de Alagoas. Depois de ser elevada a condição de vila Maceió se torna capital, sediando o governo em 1839. O nome Maceió é uma palavra de origem indígena da tribo tupi, vem da palavra massaioqui, que é o aterro que tapa a região alagada. Por que escorria pelo centro da cidade, o famoso Riacho Salgadinho. Então havia, onde hoje é a praça da catedral, esse monte elevado que tapava o alagadiço, daí os indígenas denominaram massaioqui, o aterro que tapa o alagadiço. Natal de Maceió tem árvore de 37 metros no estacionamento do Marco dos Corais, na Ponta Verde Jonathan Lins/Secom Maceió Nota da Prefeitura Maceió completa 208 anos, mas as celebrações ficarão para outra ocasião. Neste momento, a prefeitura está preocupada e envolvida em garantir a assistência e salvaguadar a vida da população vítima do afundamento de solo causado pela Braskem. Apesar de ser um momento difícil e nunca vivenciado na história da cidade, todos os esforços estão sendo empregados pela gestão para que Maceió passe por toda essa situação com o menor impacto possível às pessoas e com todos os envolvidos no crime ambiental responsabilizados. Assista aos vídeos mais recentes do g1 AL Veja mais notícias da região no g1 AL

FONTE: https://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/2023/12/05/sob-risco-colapso-em-area-de-mina-maceio-completa-208-anos-sem-festa-de-aniversario.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Anunciantes